29 de novembro de 2016

[Resenha] Mutações


MUTAÇÕES
Autora: Renata Emily
Editora: Biblioteca 24 horas
Ano: 2016
Páginas: 120
E-book cedido em parceria com a autora


Sinopse: Mutações é, acima de tudo, um intenso esforço de empreendimento de uma compreensão cotidiana. Renata Emily se utiliza de recursos diversos para promover este olhar: o humor, a ironia e o lirismo revelam liberdades de escolha, desejos de conquista, ambição desmedida, contradições do sentimento amoroso, tragédias privadas e desgraças públicas, além do universo de verdades, mentiras e segredos expostos e escondidos sob o empate entre opressores e oprimidos. O poder da escrita de Renata Emily aponta uma esperança para todo aquele que soletra o caos e a desordem nas páginas de Mutações. O sentimento está longe de revelar um happy ending, porém acalenta a sensibilidade de qualquer um que crê em um mundo melhor. O livro que surge em suas mãos é o retrato de nossas fraquezas primitivas, de nossas ambições tacanhas e medíocres, de nossas qualidades inegáveis e inquestionáveis. Algumas passagens talvez não irão nos agradar, outras possivelmente nos surpreenderão, mas jamais podemos dizer que o reflexo que se faz em cada página não é o nosso. Por isso, dê início à leitura desta obra e siga ao encontro das mutações poéticas do cotidiano.




O livro traz poemas e narrativas (alguns em tamanho "mini") sobre diversos temas, tais como as vontades e sonhos do cotidiano, comuns a todos nós, as reações mais (im)prováveis quando algo (bom ou ruim) acontece, os sentimentos e impressões de alguém sobre algo ou outrem.


"Emagrecera 8 kg, mas, na balança, ainda pesava o remorso de ter comido sozinha uma pizza maracanã."



Um ponto que me chamou bastante a atenção no livro de Renata foram as críticas sociais, colocadas de forma bastante sutil, sem posicionamento político, mas que dão aquela "sacudida" naqueles que pregam algo que não praticam na vida em sociedade.



"Era tão hábil enganador, que tinha dificuldades para discernir o imaginário do real."



O que mais gostei no livro foi o contraponto que a autora faz, ao utilizar, ora palavras de linguagem culta e formal e, em outros momentos, o sarcasmo e a ironia na sua melhor forma, o que fez com que eu ficasse ávida por passar logo para a próxima página, para saber quais surpresas ela me revelaria.

De toda a escrita do livro, a parte que mais me chamou a atenção, por motivos óbvios, foi essa, intitulada "sensações eróticas":




"Entrar em livrarias lhe trazia sensações eróticas ao tatear os livros, contemplar capas, ler orelhas, índices e sentir o cheiro de páginas novas."


Para mim, a autora conseguiu traduzir nessas palavras o amor que ávidos leitores têm pelos livros e pelo ato de ir à uma livraria escolher, olhar, cheirar o objeto de sua afeição, um prazer que, para ela (e para muitos leitores), é tão imenso, que pode ser comparado ao prazer erótico.

Este é o livro de estreia da autora, que conseguiu me encantar com sua forma simples, ora engraçada, ora mais firme de escrever.

Eu indico a obra a quem curte poesia, narrativas com um toque de ironia e, principalmente, novas reflexões e outros modos de ver a vida.

A autora segue em busca de novos parceiros e, a quem interessar possa, é só fazer contato no e-mail abaixo:








25 de novembro de 2016

[Resenha] O Ladrão de Sonhos


O Ladrão de Sonhos - A Fábula de Lincon Walter
Autor: Sidnei Coelho
Editora: Chiado
Ano: 2016
Páginas: 190
Livro cedido em parceria com o autor


Sinopse:Ele nasceu predestinado a fazer coisas grandiosas e de fato a sua juventude foi muito promissora. Mas eventos inesperados transformaram o jovem talentoso em um homem vazio e esquecido.Dezessete anos se passaram, quando ele descobriu um poder tão sombrio que transformou uma cidade inteira em um lugar de trevas e solidão.Mas um encontro inesperado mudou tudo o que ele pensava sobre a vida e essa pessoa se tornou a única esperança de todas as vidas que ele destruiu.



“Dizem que algumas vidas estãoligadas através dos tempos.Ligadas por um antigo chamadoque ecoa através dos tempos.” (O Príncipe da Pérsia)


Nossa história se passa no Vale das Montanhas Gêmeas, onde Lincon Walter, rapaz de família abastada e com um futuro muito promissor vive com seus pais e irmãos.

Lincon era considerado o menino prodígio da Família Walter, muito popular em sua cidade, amante dos esportes e com uma grande inteligência, conduzia diversos projetos muito grandiosos. Todos esperavam muito dele e até então ele atendia às expectativas.




Até que um fato muda tudo na vida do jovem, Lincon passa por uma mudança drástica, se isola de todos, até que resolve abandonar a casa dos pais. Por 17 anos ele viveu na mais profunda escuridão e solidão, ficando irreconhecível. Quando tudo parecia não ter como piorar, ele descobre um poder, o de roubar sonhos.


“A vida é surpreendente. Ás vezes o inesperado acontece e pode se transformar em uma oportunidade. Essa oportunidade pode virar um dom e o dom pode ser bom ou ruim. Quando isso acontece, somente quem recebe esse dom poderá escolher qual o caminho a seguir.”


Lincon quer devastar o mundo, levar as trevas para todos. Já imaginou um mundo sem sonhos? Pessoas sem perspectivas em suas vidas? Até que ele entra em um sonho diferente, que pode transformar tudo e ser sua segunda chance.

Sentei em uma tarde para começar a ler o livro do Sidnei e fui tão absorvida pela história que quando vi cheguei ao fim da leitura.

A história de Lincon não é uma história comum, é para pensar e refletir. Às vezes o que buscamos no externo, seja para satisfazer nossos desejos ou aliviar nossas frustrações, nem sempre se encontram onde procuramos e sim dentro de nós mesmos.

Nem sempre vamos pelo caminho certo em nossas vidas, mas sempre, temos uma segunda chance de mudar tudo, basta reconhecer essa oportunidade. Sonhos são importantes e não devemos deixar ninguém apagá-los de nós.


“Entretanto, nada na vida dura para sempre. E até aqueles que não desejam, podem ter uma segunda chance.A segunda chance de Lincon estava muito perto de acontecer, mas ele não fazia a mínima idéia das coisas que estavam por vir.”


Esse foi o sentimento que tive ao ler o livro do Sidnei. Através de uma história escrita de forma simples e leve pelo autor, temos vários aprendizados

A leitura flui rápida e é bem gostosa mesmo. Com personagens cativantes e bem construídos.

A capa tem muito a ver com a história e eu gostei bastante. Temos ilustrações na parte interna, além da diagramação perfeita. Excelente trabalho da Editora Chiado!




Não encontrei erros durante a leitura e não tenho nenhum ponto negativo para apontar, a não ser que terminei querendo mais um pouco!!

O bom é que teremos mais do Lincon em um próximo lançamento!

Recomendo!




Clique aqui e adicione O Ladrão de Sonhos no Skoob



24 de novembro de 2016

[Entrevista] Raul Otuzi

Olá, queridos leitores!

O post de hoje é mais que especial, pois se trata da entrevistado mês, com o autor parceiro Raul Otuzi.

Vamos conhecer um pouco mais sobre o Raul?!




1. Quem é Raul Otuzi?
R: Uau. Que pergunta difícil... rs. Sou um cara simples, de pensamentos completos, que gosta de boas histórias, aprecia os amigos, cachorros, poesia, cerveja e o Palmeiras. Sou uma pessoa que vive em função de ter prazer e que busca inspirar pessoas.

2. Quando e como começou a escrever?
R: Comecei a escrever desde que me entendo por gente, por influência do meu querido pai. Comecei com poesia, depois parti para pequenas crônicas. Sempre li bastante e isso me ajudou a querer ser escritor.


3. Tem algum autor que considere uma referência para o seu trabalho como escritor?
R: Sempre tem. Luis Fernando Veríssimo foi minha primeira grande referência. Depois, Nelson Rodrigues.

4. Quais seus autores preferidos?
R: Atualmente, são J.M. Coetzee, Philip Roth, Chuck Palahnuik, Alice Munro e Haruki Murakami; além dos brasileiros já citados: Luis Fernando Veríssimo e Nelson Rodrigues. E mais: Clarice Lispector, Drummond de Andrade e Fernando Pessoa.

5. Fale um pouco sobre “Tristes finais para começos 

infelizes”.
R: É um livro de 25 contos que retratam os relacionamentos humanos, seus abusos e absurdos. São histórias que se caracterizam pela fluidez, verdade e ironia. Gosto de surpreender no final de cada conto, fazer o leitor se espantar e refletir. As personagens são pessoas com as quais a gente se identifica, porque são comuns, com seus sonhos e frustrações, desejos e medos, alegrias e decepções, ciúmes e esperanças. 



Resenha aqui


6. A princípio, esse parece um assunto trágico, mas, ao ler as histórias, percebemos que carregam um toque de humor. Por que escolheu essa forma de escrever?

R: Não é algo planejado. Esse é o meu jeito de escrever. Aprecio a ironia, um olhar crítico e sarcástico sobre as coisas que acontecem em nossas vidas.


7. Como foi para você escrever seu primeiro livro? Quanto tempo esse processo durou?

R: Olha, essa pergunta é ótima. Eu escrevi os contos do livro quando tinha vinte e quatro anos. O livro foi publicado quando eu tinha quarenta e três. O que aconteceu nesse meio tempo? Eu trabalhei muito com propaganda, virei pai, virei professor universitário, foi bem corrido. Até que em 2014 participei de um concurso nacional de contos da FNAC e fui um dos premiados. Com isso, fiquei muito empolgado, revisitei as histórias que havia escrito, reescrevi algumas, deixei outras intactas. Curti muito o material. Apresentei para a editora, foi aprovado e fui publicado. Uma sensação fantástica, de realização pessoal.

8. Como fez a escolha dos nomes dos personagens? E quanto às características deles, você se baseou em alguém que conheça?

R: Os nomes aparecem na minha cabeça de forma totalmente aleatória. Não preciso perder tempo com isso. Quanto às características, físicas e/ou psicológicas, sem dúvida, me inspiro em conhecidos, amigos e até inimigos... rs.


9. Tem algum personagem favorito ou que mais se identifique?

R: Gosto muito do Otávio, do conto "O inventor de profissões". É um otimista azarado. Ou algo perto disso.

10. Qual o seu próximo projeto?

R: Estou lançando meu primeiro romance agora, no dia 1 de dezembro: "Cenas de um casal publicitário: ou qualquer outro nas galáxias". É um livro que vai continuar mostrando como funcionam os relacionamentos. Quero muito que o Pacote Literário leia e resenhe a repeito. Combinado?


11. Qual o seu próximo projeto?

R: Estou lançando meu primeiro romance agora, no dia 1 de dezembro: "Cenas de um casal publicitário: ou qualquer outro nas galáxias". É um livro que vai continuar mostrando como funcionam os relacionamentos. Quero muito que o Pacote Literário leia e resenhe a repeito. Combinado?


12. Como foi para você escrever os contos? A princípio, você pensou em escrever um livro de contos ou os escreveu de forma esparsa e depois os colocou em forma de livro?

R: As histórias surgiram em minha cabeça de forma independente. Às vezes era uma pessoa que me inspirava, às vezes um comentário que alguém dizia me acendia uma vontade de desenvolver aquilo e colocar em um conto. Sem dúvida, eu me alimento da realidade e daí, carrego um pouco nas tintas.


13. Deixe um recadinho aos nossos leitores.

R: Leiam, leiam bastante. E tenham prazer. Escrevam uma linda história para as suas próprias vidas.



Raul, obrigada por sua entrevista!! O Blog Pacote Literário deseja muito sucesso no lançamento do novo livro e em todos os outros!




22 de novembro de 2016

Livros & Esmaltes #14

Olá queridos leitores!

Hoje é dia da coluna quinzenal Livros & Esmaltesum post em parceria com o blog MãeLiteratura!


Esta semana nosso tema é "esmalte roxo".



Vamos às nossas escolhas:

Minhas Escolhas:


O esmalte é o Belladonna, um holográfico da Penelope Luz. Amo os esmaltes dessa marca, pois cobre super bem e as cores são lindas.

O livro é o “O menino dos fantoches de Varsóvia”, estou amando! Eva Weaver nos envolve em um drama sério, grave, mas de uma forma leve e o leitor não consegue largar o livro!


Escolhas da Fernanda:



"O esmalte é o "Noite de gala" da Colorama. Na sombra ele fica bem escuro, parecendo preto e no sol um roxo com um brilho incrível. Fácil de passar, mas recomendo duas camadas bem generosas!!

O livro é o "Cem anos de solidão", de Gabriel Garcia Marques. Estou fazendo uma releitura dessa obra maravilhosa!"



Escolhas da Claudia:





"Escolhi os esmaltes Tereza Cristina, da coleção Preciosas Vilas, da Colorama e na unha única usei o Sophia Gliter, da Novo Toque. Gostei muito desta combinação!

O livro é o ótimo A teta racional, da Giovana Madalosso. Adorei!!!



Gostaram das nossas escolhas?

E para quem quiser participar, bastar enviar um e-mail com fotinho pra gente. Pode ficar à vontade para seguir as cores propostas ou apenas do seu livro com as unhas da semana!

pacoteliterario@gmail.com

Ficaremos felizes com a sua participação!!


Beijos e até a próxima!

21 de novembro de 2016

[Resenha] O Fim do Amanhã


O Fim do Amanhã
Autor: Daniel Gasparini
Editora: Chiado
Ano: 2015
Páginas: 326
Livro cedido em parceria com a Editora


Sinopse: Enquanto um ataque terrorista no centro de São Paulo muda a fisionomia da cidade, Tom, que não passava de um rapaz comum com uma entediante vida de trabalhador urbano, vê sua vida se transformar quando aparentemente um dos envolvidos o reconhece de algum lugar. Assustado e sem ter a quem recorrer, acaba se encontrando entre a polícia e uma organização secreta conhecida como os Mãos de Prata.Para desvendar toda a verdade, Tom terá que embarcar em uma aventura não linear pelo tempo e espaço, dominando tecnologias futurísticas e contando com a ajuda de parceiros pouco tradicionais, a fim de impedir seres poderosos que querem causar o fim do amanhã.



O que você faria se descobrisse que fosse possível viajar no tempo? E que o futuro da humanidade dependesse de você? Mas que para isso teria que enfrentar pessoas com superpoderes, estes, desconhecidos e sem saber até onde poderiam chegar.

É assim que Tom, nosso protagonista se depara de uma hora pra outra em sua vida. 

Tom é um rapaz comum, morador de São Paulo e um dia, a caminho do trabalho, fica sabendo que o motivo do trânsito parado é uma enorme cratera formada em plena Avenida Paulista.

Curioso, ele desce do ônibus e se encaminha até o local, onde em todo caos, encontra um misterioso homem de sobretudo que parece conhecê-lo. Assustado, Tom foge.

Mas não tem como fugir do destino. Quem seria esse homem? De onde ele conhece Tom? E por que a polícia agora está atrás de Tom?





O Fim do Amanhã chegou em minhas mãos através da parceria com a Editora Chiado e posso dizer que de monotonia não tem nada. Com uma escrita cheia de ação, mistério e emoção, Daniel Gasparini consegue prender o leitor à sua história.

Os capítulos são curtos, o que acaba dando mais dinâmica ainda na leitura, as cenas são bem detalhadas e temos a sensação de participar da trama.

Outro ponto que gostei muito foi que o autor inseriu a cidade de São Paulo em sua trama citando alguns pontos da cidade, inclusive um bem próximo onde moro (fiquei até imaginando a cena se passando aqui do lado) e eu achei isso incrível. Criar uma ficção de viagem no tempo e inserir o cenário brasileiro foi uma escolha perfeita.

Mesmo sendo um enredo de fantasia, podemos, em suas entrelinhas, encontrar traços bem reais de um futuro ou um não futuro muito próximo. O que poderia causar o fim do amanhã?



Gostei do estilo de escrita do autor, detalhista, aprimorado e muito dinâmico. Uma leitura fluída e de fácil entendimento.

Sobre a diagramação está perfeita e eu tenho gostado muito do trabalho apresentado pela Editora Chiado.

Para quem curte histórias de viagens no tempo, muita ação e emoção, recomendo O Fim do Amanhã!


"Ás vezes empacamos na vida porque não olhamos para todos os lados."


Clique aqui e adicione O Fim do Amanhã no Skoob!


20 de novembro de 2016

[Consciência Negra] Negros na Literatura

Olá leitores!

Hoje é o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, por isso temos um post muito especial. A representatividade do negro na literatura!

Desde sempre nós temos escritores negros, sejam seus trabalhos reconhecidos ou não. Alguns deles já conhecemos na escola, são: Machado de AssisCruz e Sousa, Lima Barreto e Castro Alves.

O preconceito racial no Brasil foi e é tão grande que muitas vezes as pessoas não falam que alguns dos escritores brasileiros que mais se destacaram eram negros.

Hoje ainda existe a invisibilidade do negro na literatura, o que pode passar despercebido o trabalho de alguns autores contemporâneos em nosso país.

Reuni nesse post alguns autores negros da atualidade, tanto brasileiros quanto estrangeiros, que merecem destaque por seu trabalho. Valendo também uma reflexão sobre o assunto.



Elisa Lucinda - Poetisa, jornalista, cantora e atriz. A artista recebeu o Troféu Raça Negra 2010, na categoria Teatro.
Com mais de doze livros publicados, foia a idealizadora da Casa Poema, instituição sócio-educativa que capacita profissionais através da poesia falada. Entre suas obras, destaque para o livro infantil Lili, a rainha das escolhas, a história de uma menina negra.



Chimamanda Ngozi Adichie - É uma escritora nigeriana. Ela é reconhecida como uma das mais importantes jovens autoras anglófonas que está tendo sucesso em atrair uma nova geração de leitores de literatura africana.
Entre suas obras: Hibisco Roxo (já resenhado pelo blog aqui), Meio Sol Amarelo, Somos todos feministas e Americanah.
Já tive a oportunidade de conhecer a escrita da autora e me encantei. Recomendo muito!




Paulo Lins - É um escritor brasileiro que ganhou fama com a publicação do livro Cidade de Deus sobre a vida nas favelas do Rio de Janeiro.
Morador da favela carioca começou como poeta nos anos 1980 como integrante do grupo Cooperativa de Poetas, por onde publicou seu primeiro livro de poesia: Sobre o Sol.


Toni Morrison -  é uma escritora, editora e professora.
Recebeu o Nobel de Literatura de 1993, por seus romances fortes e pungentes, que relatam as experiências de mulheres negras nos Estados Unidos durante os séculos XIX e XX. 
Entre suas obras: O olho mais azul, Amada, Jazz e Paraíso.
Outra autora que recomendo para aqueles que apreciam uma escrita forte e emocionante.




Joel Rufino dos Santos - Foi um historiador, professor e escritor brasileiro, é um dos nomes de referência sobre cultura africana no país.
São várias suas obras, dentre eles podemos destacar: Crônica de indomáveis delírios, Claros sussurros de celestes ventos, O dia em que o povo ganhou e Abolição.
Entre os infantis: O saci e o curupira, O jacaré que comeu a noite, Na rota dos tubarões, Robin Hood.



18 de novembro de 2016

[Resenha] Primavera Eterna


PRIMAVERA ETERNA
Autora: Paula Abreu
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 128


Sinopse: Maia é uma jovem publicitária bem-sucedida. Tem um emprego estável, um namoro estável, uma vidinha estável. Até demais. Certo dia, tentando imaginar como seria sua vida no futuro, o casamento, os filhos, visualiza duas crianças loirinhas correndo… Loirinhas? Então ela se dá conta de onde vem aquela cor de cabelos: Diogo, o menino por quem se apaixonou à primeira vista aos 12 anos, numa cidadezinha do interior, onde costumava passar os fins de semana com a família. Acontece que ele se mudou para os Estados Unidos há mais de dez anos, e a essa altura da vida, já nem deve se lembrar mais dela.Mesmo assim, num impulso, Maia pede férias na agência, inventa uma viagem de trabalho como desculpa para o namorado e vai para Nova York, atrás do seu primeiro amor. Primavera Eterna é a história de uma jovem cheia de sonhos esquecidos, que ousa arriscar tudo o que tem e acaba encontrando a si mesma.




O livro nos conta a história de Maia, uma publicitária que tem um bom emprego e um namoro que parece se encaminhar para o casamento.

Maia é pega de surpresa pelos próprios pensamentos quando, ao imaginar seu futuro, enxerga como seus filhos crianças loirinhas que, em nenhum detalhe se parecem com seu namorado.



Quando tenta se recordar de quem são (ou com quem se parecem) aqueles olhos e cor de cabelos de seus possíveis "futuros filhos", apenas uma pessoa lhe vem em mente: Diogo, seu primeiro amor, que aconteceu quando tinha 12 anos de idade.


"Mas aquele menino, entende? Aquele era o menino. Ele era simplesmente perfeito. Minha vida ia ficar muito mais complicada quando eu descobrisse que não bastava um homem ter um nariz como o dele para ser perfeito."


Então, a personagem nos presenteia com detalhes de sua infância no interior e de como seu coração bateu forte ao conhecer Diogo e, claro, como sofreu quando tiveram de se separar.

É quando essas lembranças tomam conta de sua vida e Maia faz a maior loucura de sua vida: precisa reencontrar Diogo.


"No milésimo de segundo durante o qual se diz que os moribundos veem suas vidas como um filme, tenho certeza de que vou ver de novo aquele rosto que veio depois do nome, me assombrando com seus traços irrepreensíveis, desenhados por uma pena cuidadosa que não podia, de modo algum, ser a mesma pena que desenhara o mundo que eu conhecia. De perto, ele era ainda mais perfeito."


Narrado em primeira pessoa por Maia, o livro se desenvolve de forma fácil, fluida, leve e gostosa de se ler. Finalizei a leitura em poucas horas e, apesar disso, desperta todos os sentimentos possíveis no leitor.


Em todas as loucuras, medos e angústias da personagem, a autora faz com que o leitor recorde de sua infância, adolescência e possa analisar as suas escolhas, bem como Maia fez.

E, claro, nos faz perceber que o passar inevitável das horas, dos dias e dos anos modifica as pessoas para sempre, de modo que a lembrança daquele amor do passado é muito diferente do que ele pode ser na realidade.


"Foi suficientemente insensata para arriscar-se à trilha dos enganos, quando a razão nos ensina que toda felicidade é tangível, imediata, e é loucura partir em busca de quimeras se temos o real para viver."


Recomendo a leitura a quem gosta de livros leves, com uma dose de romance e ótimas reflexões sobre o amor, a vida e as nossas percepções sobre eles.


Clique aqui e adicione Primavera Eterna no Skoob



© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo