23 de junho de 2017

[Resenha] Oníria


ONÍRIA
Autora: Joana Santos Silva
Editora: Chiado
Ano: 2017
Páginas: 72

Livro cedido para resenha pela autora
Sinopse: "Oníria" são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.
Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente.



Olá!!

Sempre acho que um livro de poesias é feito com a alma e sempre tem muito de quem o escreve.

Assim me senti lendo Oníria, de Joana Santos Silva. Um bálsamo para nossas vidas.



“Traz me de  volta aqueles ventosNo campo à espera de comida caseiraE eu à tua beiraAinda te vejo a trocar batatas por galinhasPara cozinhares para a JoaninhaMeu tudo, minha saudade”.
       Trecho de Avó, pág 19


Nostalgia, saudade e alento são ingredientes da escrita da autora e eu me peguei diversas vezes mergulhada dentro de mim mesma.


“Divagar, pensar em ti, escreverCompreender, a tua pessoa, voarTentar-te alcançar, mas ouvesNão sei se podesO barco está-te a levarNem de perto te consigo avistarChove, faz frio e chuvaE está só a minha presença, não a tua.”
   Trecho de Momento, pág 29



Só posso dizer o quanto intensa é a leitura de Oníria, li em uma sentada, mas deve ser degustado e sentido.


“Arrancada pergunto o porquêDeus diabo que me tormentasÉ por baixo das tuas bentasCego que não se vê Farei tudo para te recordarSerei eu contigo ao ladoSou oníria e te canto o fadoDe que nunca me vais deixar.”
 Trecho de Oníria, pág 60


A edição, pela editora Chiado, está linda e perfeita. A capa é maravilhosa, com um apanhador de sonhos na capa em tons de azul. O que traduz exatamente esse mundo de Oníria, um apanhado de sonhos e momentos em forma de poesia.

Leitura cheia de sentimentos e gratificante. Agradeço a Joana por essa oportunidade!

Clique aqui e adicione Oníria no Skoob





22 de junho de 2017

[Resenha] Medo - Entenda e Aceite as Inseguranças da Vida

MEDO
Entenda e Aceite as Inseguranças da Vida
Autor: Osho
Editora: Cultrix
Ano: 2017
Páginas: 224

Livro cedido em parceria com a Editora
Sinopse: Osho leva o leitor passo a passo a uma jornada por tudo que faz os seres humanos terem medo, desde a reação reflexa de "lutar ou fugir" do perigo físico até os medos racionais e irracionais da nossa mente. Só levando a luz do entendimento aos cantos mais sombrios do medo, diz ele, podemos começar a nos aventurar para fora dos limites da nossa zona de conforto e aprender a conviver, e ainda apreciar, a insegurança inerente ao fato de estarmos vivos. O livro termina com uma série de experiências de meditação destinadas a ajudar os leitores a vivenciar uma nova relação com o medo e começar a vê-lo não como um obstáculo, mas como um trampolim para uma maior autoconsciência e confiança na vida.





Olá, leitores queridos! A resenha de hoje é sobre o livro Medo, de Osho, uma leitura maravilhosa que me despertou muitas sensações, conforme descreverei abaixo. 

O livro é um apanhado de frases, falas e explicações obtidos em palestras feitas por Osho, com plateia ao vivo. Esse fato me impressionou em diversos momentos do livro, pois ele não teve qualquer dificuldade em expor seu pensamento, fazer críticas e citar inúmeros exemplos, mesmo com pessoas à sua frente ouvindo instantaneamente o que ele dizia.



Osho foi um líder religioso e espiritual que morreu em 1990. Com seus pensamentos inovadores, inspirou multidões ao propor uma nova forma de abordar, pensar e sentir a filosofia da espiritualidade.

"A morte é o único comunista do mundo; ela não se importa se você tem dinheiro ou se é um mendigo, se você é instruído ou não. Você não pode dizer: 'Espere aí, eu sou um erudito'."


Eu só o conhecia de nome e já havia lido alguns de seus textos na internet, mas jamais imaginei ter uma experiência tão diferente ao realizar a leitura completa de um de seus livros.

O autor começa com definições do que é o medo e de como o enxergamos de uma maneira tão prejudicial que nos provoca dor.

Ele também defende que nosso principal medo é com relação à morte e, em seguida, esclarece que devemos encarar a morte como uma etapa da vida, assim como o nascimento e a vida em si, os dias que passam, trabalho, estudo e demais atividades no decorrer do tempo que passamos no mundo.

"Então, uma coisa que eu gostaria de dizer a você é: não dê muita atenção ao medo, porque ele se torna uma auto-hipnose. Se ficar repetindo que vive com medo, que a sua vida é regida pelo medo, você será dominado pelo medo e o estará alimentando."


Ele também nos leva a pensar sobre um amor amplo, capaz de vencer o medo de tudo, inclusive a dor psicológica, que tende a ser a maior, já que, em regra, programamos assim a nossa mente.



Osho nos propõe enfrentarmos os nossos medos, pois nada mais são do que desafios que não deixarão de existir. Ou seja, a situação que nos coloca medo continuará lá, intacta. É normal sentir medo dela. Mas isso não mudará nada. O que mudará, de fato, é a nossa forma de enfrentar aquele obstáculo.

Me lembrei de um trecho que li na internet que diz: "Siga em frente e, se der medo, vai com medo mesmo!", cujo autor desconheço. Senti que Osho também quis passar essa ideia, mas ele foi além: ele explica porque o medo é inútil para nossas vidas e propõe reprogramarmos nossa mente para não o sentirmos mais (ou para, pelo menos, não o sentirmos mais como sentimos atualmente).

Osho também sugere que tenhamos paciência ao mudarmos de atitude, pois nem sempre conseguiremos, com a rapidez que queremos, pensar e sentir de uma nova maneira, de forma diferente do que sempre levamos a vida.

"Lembre-se sempre, a ausência não deve ser considerada um problema, porque nada pode ser feito com respeito a isso. Só a presença deve ser considerada um problema, porque então algo pode ser feito e ela pode ser resolvida."


Não é uma leitura rápida e sugiro que não o seja mesmo! São reflexões para serem analisadas, pensadas com calma e, é claro, exigem que nos deixemos levar por suas palavras e façamos um verdadeiro mergulho interno para que possamos aproveitar cada uma de suas frases.

Inicialmente, a leitura pode parecer maçante, mas os ensinamentos de vida são realmente sensacionais. E o autor exemplifica a maioria das lições através de acontecimentos  básicos do dia-a-dia, atitudes que geram negatividade, brigas e polêmicas entre casais, nos relacionamentos familiares, na rotina profissional e em todos os setores da vida.

Com uma narrativa densa e profunda em primeira pessoa, Osho consegue nos levar a muitas reflexões que, em mim, tiveram a consequência de despertar para modificar atitudes, hábitos e palavras que até então me acompanhavam.

Apesar de simples, a capa com a borboleta me remetem exatamente ao que o livro traz: a possibilidade de transformação. A fonte é pequena e as folhas são brancas, o que pode dificultar a leitura para algumas pessoas, mas para mim foi tranquila. Não encontrei erros de edição. 

Indico a quem gosta do tema, a quem curte livros sobre espiritualidade, a quem deseja melhorar o nível de autoconhecimento e, claro, recomendo que a leitura seja degustada, para que o essencial da escrita de Osho possa promover verdadeiras melhorias em sua vida!


Clique aqui e adicionMedo no Skoob

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo