23 de setembro de 2016

[Resenha] Menina Má


MENINA MÁ
Autor: William March
Editora: DarkSide
Ano: 2016
Páginas: 272


Sinopse: Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.Menina Má é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.



Hoje vamos falar sobre um clássico do suspense/terror. Publicado pela primeira vez em 1954, Menina Má, fez muito sucesso e causou muita polêmica na época.

Agora reeditado pela editora DarkSide, o livro aborda a Psicopatia Infantil. “Psicopatia” que por si só já é um assunto tenebroso, imagina se o psicopata for uma criança?

Rhoda, uma linda garotinha de oito anos que é tida por todos como uma criança adorável, que encanta e faz sua melhor carinha quando quer alguma coisa. Porém, madura para idade, perfeccionista e muito dissimulada; sua frieza chega a assustar.



A única que parece enxergar Rhoda como ela é, é sua mãe Christine. As duas vivem a maior parte do tempo sozinhas, pois o pai de Rhoda viaja muito a trabalho.

Depois de um piquenique da escola, onde um menino da sala de Rhoda morre de forma estranha, a mãe começa a notar, mais detidamente, o comportamento extremamente frio da filha.  Além disso, a escola sem maiores explicações exige o afastamento da garotinha.


"Por que deveria me importar? Foi Claude Daigle que se afogou, não eu."



Atordoada com os acontecimentos e desconfiada, Christine resolve investigar sobre a morte do menino. Com várias descobertas assombrosas e o surgimento de outros acontecimentos, a mãe começa a sentir medo da própria filha.




A história é perturbadora! Eu senti extrema agonia em vários momentos. A escrita é muito detalhada e o autor nos leva a reviravoltas surpreendentes.

O livro traz uma história “macabra”, por apresentar uma criança psicopata. Causa-nos surpresa saber que, desde tão cedo, instintos tão primitivos de maldade podem se manifestar; mas, ao mesmo tempo, nos desperta a vontade de conhecer mais, aprofundar-se no assunto.


"Ela prometeu me dar a bola de cristal quando morresse. Agora é minha, não é?" 


Com uma leitura mais profunda, a obra impressiona pela frieza da personagem, os conflitos gerados e, principalmente, pelo lado psicológico da perversidade humana.

Outro ponto levantado consiste no dilema enfrentado pela mãe: a necessidade de escolher entre proteger sua filha ou o mundo. O que uma mãe poderia fazer diante desse cenário? Que atitude tomar?


"Rhoda nunca foi desobediente, preguiçosa ou petulante, como algumas crianças são. Ela tem tantas qualidades. Só que tem esse probleminha; essa peculiaridade de caráter."





Menina má é o tipo de livro que, mesmo passando anos, ainda vai te angustiar e envolver.

A história foi adaptada para o cinema em 1956 e indicado a quatro prêmios do Oscar, incluindo o de melhor atriz para Patty McComarck, que interpretou Rhoda.

Outra vez quero parabenizar a DarkSide, que mostrou excelência em seu trabalho. A edição em capa dura, fita marca páginas e ilustrações, são maravilhosas!

Indico o livro para aqueles que têm interesse em leituras do gênero, e os curiosos pelo assunto.






"Esta resenha participa da Dark Season. Para saber mais detalhes e concorrer à um livro da editora Darkside clique aqui"



Clique aqui e adicione Menina Má no Skoob


21 de setembro de 2016

[Tag] Book Tag Frases de Criança

Olá leitores!!

Hoje vim trazer uma tag recebida pelo blog Coleções Literárias da querida Taty.

Agradecemos a indicação!!

E como eu adoro tags, aqui estou!!!

Você precisa relacionar algumas frases famosas que toda criança fala à livros! Mais antes seguem as regras.







Regras:
1. Mencionar e Linkar os blogueiros que criaram a tag: Taty Salazar - Coleções Literárias e Marcio Silva - Um Baixinho nos Livros;
2. Indicar no minimo 5 blogs para responder a tag (Não esqueça de avisar que você os tagueou);
3. Postar a IMAGEM oficial  da tag em sua postagem "caso for responder escrito".


OpcionalUsar a hastag #BookTagFrasesDeCriança no facebook e/ou no Instagram.


1. Meu nome é... Um personagem infantil favorito.
Tenho vários, mas escolhi uma que marcou minha infância e é muito querida para mim: a boneca Emília do Sítio do Pica Pau Amarelo.




2. Quantos anos eu tenho? Quantos livros você tem?
Tem muito tempo que não conto, mas devo ter uns 300 ou perto disso.


3. Eu já sei ler. Primeiro livro que você leu?
Eu li outros antes desse, mas esse marcou muito. Li e reli não sei quantas vezes.




4. "Diz papai" Mamãe. Um livro que você imaginava uma coisa e acabou sendo outra.
Esse eu fui muito pela capa e achei que se tratava de algo bem terror. E qual não foi minha surpresa ao me deparar com uma história de fantasia sobrenatural. Gostei muito.





5. Mãe tô com fome. Um livro que você devorou.
Tom Rob Smith é mestre! Fiquei presa ao livro até chegar ao fim!! Excelente, entrou para os meus favoritos e recomendo para todos que curtem um bom suspense.





6. Pai! Conta uma historinha para mim dormir? O livro que você está lendo.
Estou lendo dois no momento.







7. Pai cadê a mãe? Um personagem secundário que se destacou mais que o protagonista.
Rue foi um personagem secundário que me conquistou. Por ser o tributo mais jovem e por sua ligação com a Katniss, mesmo que breve.




8. Olha pai. Tire uma foto de sua estante.




9. Já sei o que vou querer de presente do dia das crianças! O livro que você está cobiçando.
Só pode um?



Coleção Jane Austen





10. Pai ta chegando? e agora? e agora? Continuação de uma serie que você ama e está aguardando muito.
Na verdade uma Duologia, depois que li esse livro não vejo a hora da continuação.




11. Mãe fulano me bateu. Um personagem que merecia uma surra?
Esse livro é lindo e a autora uma das minhas favoritas mas o Papa Eugene merecia uma surra.




12. Maaaae eu cai. Um personagem desastrado.
Daniella com certeza! Desastrada e adorável!!




13. Por quê? Para quê? Um livro confuso.
Socorro! Não gostei, confuso demais.




14. Psora posso ir no banheiro? Um livro nojinho.
Escolhi um espírita para essa categoria. Não que seja um livro nojinho, mas de um tema bastante forte e eu fiquei bastante abalada durante a leitura.




15. Pai de onde vem os bebês? Uma personagem grávida.
Lúcia.



16. Olha mãe, aprendi a contar: 1, 2, 4, 6. Indique 05 amigos para responder essa tag.




Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado da tag. 
Sintam-se à vontade para responder e não esqueçam dos devidos créditos.

Até a próxima!!!








© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo